Em colônia de formigas, 25% dos indivíduos não trabalham, diz estudo

150227204558_ants_624x351_pa

Monitoramento indicou que só 2,6% dos insetos são ativos o tempo todo.
Pesquisa nos EUA estimou que 71,9% deles passam metade do dia

A imagem das formigas na cultura popular é a de animais trabalhadores incansáveis, capazes de sacrificar qualquer coisa pelo bem estar do formigueiro, mas um estudo recente com um monitoramento detalhado de insetos da espécie Temnothorax rugatulus, da América do Norte, descobriu que muitas delas simplesmente não trabalham.

No estudo, que durou duas semanas, pesquisadores marcaram todos os indivíduos de cinco diferentes colônias com pontos coloridos para conseguir monitorá-los por câmeras. Seis vezes por dia, os dispositivos filmavam os formigueiros por 5 minutos e registravam o que cada uma das formigas estava fazendo.

Já se sabia que, em cada dado momento, todo formigueiro possui formigas inativas, mas os números obtidos pelos pesquisadores são de abalar a crença no mito das formigas trabalhadoras. Apenas 2,6% das formigas estava trabalhando o tempo todo durante as observações, enquanto 71,9% passavam metade do dia sem fazer nada. As formigas que apareceram o tempo todo inativas eram 25,1%.

Ócio especializado
“Talvez o resultado mais surpreendente desse estudo seja o de que a inatividade é altamente recorrente e explica uma grande parte da variação entre trabalhadores, além de tarefas especializadas como forrageamento, construção e cuidado do ninho”, escreveram Daniel Charbonneau e Anna Dornhaus, da Universidade do Arizona, autores do trabalho.

“À primeira vista, a inatividade poderia ser considerada apenas falta de atividade e parecer trivial”, afirmaram. “Entretanto, mostramos que existe um subconjunto de trabalhadores efetivamente ‘especializados’ em inatividade.”

No estudo dos biólogos, publicado na revista “Behavioral Ecology and Sociobiology”, porém, eles afirmam que ainda não sabem muito bem como interpretar os resultados. A ideia de que as formigas “preguiçosas” estivessem dormindo ou descansando, afirmaram os cientistas, é improvável, já que o monitoramento foi feito por vários dias consecutivos. A possibilidade de que alguns animais estivessem tirando “férias” também é reduzida, já que colônias foram estudadas em diferentes épocas do ano.

Uma hipótese ainda não explorada, afirmam Charbonneau e Dornhaus, é a de que a idade das formigas tenha algum papel em determinar se elas estão ativas ou não. As muito jovens e muito velhas poderiam estar sendo poupadas. Para confirmar isso, seria preciso conduzir pesquisas ainda mais detalhadas e por mais tempo, afirmam.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s