Gerascofobia: o medo incontrolável de se tornar adulto

479640

O caso bem peculiar de um garoto mexicano trouxe à tona, nos últimos anos, a discussão a respeito das fobias modernas, provocadas pela contemporaneidade. Fobia, por definição, é tudo aquilo que provoca medo em excesso e a sensação de aversão – aqui no Mega nós já falamos bastante sobre o assunto, indo desde as fobias mais curiosas até as mais clássicas, como o medo excessivo de palhaços ou de aranhas.

Hoje, vamos falar sobre a gerascofobia, que nada mais é do que o medo excessivo de se tonar adulto ou de envelhecer. Por ser uma fobia nova, apenas três casos foram documentados em todo o mundo, sendo que o mais famoso deles é de um adolescente mexicano de apenas 14 anos de idade.

Enquanto a maioria das crianças e dos adolescentes sonha em crescer logo para poder trabalhar e gastar todo o salário com os melhores jogos do PS4, o adolescente mexicano tinha um verdadeiro pavor da ideia de deixar de ser criança.

O caso desse garoto foi reportado em 2014 no Case Reports in Psychiatry. No paciente, a fobia se manifestou de tal forma, que o adolescente comia muito pouco, na esperança de que seu corpo não se desenvolvesse. Como consequência da alimentação restrita, o garoto acabou perdendo muito peso e colocando a própria vida em risco.

A cada vez que alguma pessoa dizia ao garoto que ele estava alto, que tinha crescido ou que estava parecendo ser “mais velho”, ele se sentia fisicamente doente e começava a chorar. Para ele, se tornar adulto é o seu maior pesadelo e, por isso, chegou a pensar em passar por tratamentos cirúrgicos para se parecer pré-adolescente para sempre.

Por enquanto, como não pode ficar jovem eternamente, o garoto faz o que consegue para manter uma aparência mais infantil, chegando, inclusive, a mudar o tom da voz na tentativa de esconder as mudanças naturais nesse sentido, que são típicas da puberdade.

De acordo com o relatório médico, o garoto tem verdadeiro pavor da pressão e das responsabilidades da vida adulta e passa mal só de imaginar o momento em que tiver que ser independente e sair da casa dos pais para ter o próprio emprego e uma vida cheia de responsabilidades.

Os médicos agora buscam avaliar a vida inteira do garoto, na tentativa de descobrir como essa fobia teve início. O que se sabe por enquanto é que, aos 5 anos de idade, o garoto sofreu de transtorno de ansiedade de separação e, aos 12 anos, falou pela primeira vez sobre ter sido vítima de abuso sexual quando tinha em torno de 6 anos de idade.

O pai do garoto acredita que ele tem as crises de gerascofobia para chamar a atenção. A mãe, por outro lado, trata o filho como se ele realmente fosse uma criança que precisasse de ajuda para comer e das músicas cantadas pelos pais para conseguir dormir.

Para resolver o problema, especialistas que acompanham o caso já encaminharam toda a família para um terapeuta. Além disso, o garoto está tomando antidepressivos. No estudo divulgado pelo Case Reports, os cientistas comentam a necessidade de entender melhor essa fobia tão rara, além de determinar se a região cerebral afetada é a mesma ativada quando sentimos medo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s