Bezerro com duas cabeças intriga moradores em Óbidos, PA

o_proprietario_do_frigorifico_contou_que_o_bezerro_pesa_5_kg_e_tem_aproximadamente_7_meses_

Animal foi encontrado dentro de uma vaca durante abate em frigorífico.
Bezerro foi congelado e será doado para pesquisas em uma universidade

Um caso inusitado de um bezerro com duas cabeças assustou os moradores de Óbidos, no oeste do Pará, na manhã de quarta-feira (13). Em um matadouro da cidade, uma vaca foi abatida e para surpresa dos trabalhadores do local, ela estava prenha de um bezerro com mutação gemelar incompleta. O caso ganhou rápida repercussão no município e intrigou os moradores.

Segundo o proprietário da vaca, morador da comunidade Paru, região ribeirinha de Óbidos, Aluísio Câncio, no período de enchente dos rios é natural fazer a transferência de animais para áreas de terra firme na região. Com a intenção de conseguir recursos para viabilizar o transporte dos animais, Câncio selecionou 20 bovinos e vendeu para abate em um frigorífico. Entre os animais, estava a vaca, que foi escolhida por estar muito velha.

Câncio contou que nunca presenciou algo parecido. Ele acredita que o fato é inédito no município. “Trabalho no ramo há mais de 40 anos e eu nunca tinha visto uma coisa parecida aqui na região. Deve ser um fato inédito esse bezerro com duas cabeças (…). Meu irmão levou os animais até o frigorífico e quando chegou aqui me deu essa notícia. Eu fiquei surpreso com esse fato, me deu medo, mas eu entendo que isso seja obra da natureza. É estranho, mas é a natureza. Era uma vaca velha que eu pensava que não daria mais filhos”, ressaltou.

O proprietário do frigorifico contou que o bezerro pesa 5 kg e tem aproximadamente 7 meses de gestação. “Nós congelamos ele e a minha filha vai tentar levar ele para uma universidade em Santarém para que sirva de estudos para estudantes de medicina veterinária. Deve ser um caso raro, então decidimos congelar o animal”, explicou Sivaldo Viana.

Mutação gemelar
A médica veterinária doutora em reprodução das Faculdades Integradas do Tapajos (FIT/Unama), Simone Vieira Castro, explicou que em bovinos não é comum ocorrer parto gemelar (dois bezerros). “Nesse caso, como o animal era velho, o embrião não conseguiu se dividir corretamente, e os dois fetos que eram para se formarem separados começam o desenvolvimento com alguns órgãos separados, mas a maior parte do corpo é um só”.

Ainda de acordo com Simone, outro fator que pode ter contribuído para a malformação do animal é o uso do mesmo reprodutor na propriedade, o que limita a variabilidade genética do rebanho. “Geralmente, esses animais com mutações genéticas não são compatíveis com a vida. Dependendo do grau de mutação, ou eles nascem mortos, ou vivem poucas horas após o parto”, explicou.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s