ALEX LOWE – O alpinista lendário que esteve congelado 16 anos

2016-05-03-alex5

Reconheço com alegria que não sou especialista em nenhum aspeto do alpinismo, o que tem ajudado a manter a chama da paixão acesa

É uma história tão fascinante quanto cruel, daquelas de filme: Alex Lowe, considerado o melhor alpinista da sua geração, tentava quebrar um novo recorde quando uma “avalanche enorme” lhe tirou a vida e enterrou o seu corpo num glaciar dos Himalaias. Passaram 16 anos. Na semana passada, um dos seus companheiros de expedição, agora casado com a viúva de Lowe, recebeu uma chamada: o corpo do “pulmão com pernas” foi encontrado, perfeitamente preservado pelo gelo

Foram 20 horas de buscas incessantes até o grupo se ter visto forçado a anunciar a desistência. “Tivemos uns dias muito duros. Há cerca de 30 horas, pelas 21h20 (hora do Nepal) do dia 5 de outubro, a tragédia interrompeu a nossa expedição. (…) Depois de 20 horas de buscas, desistimos e damos Alex e David como mortos.”

O excerto faz parte de um relatório datado de outubro de 1999 e assinado por Andrew McLean, líder da expedição em que a lenda do alpinismo Alex Lowe e o companheiro David Bridges morreram soterrados por uma “avalanche enorme”. Dezasseis anos passados, o impensável aconteceu: os corpos dos dois aventureiros acabam de ser encontrados no Tibete, perfeitamente conservados pelo gelo, como que “parados no tempo”, diz a viúva de Lowe.

É uma história tão fascinante quanto cruel – e com uma particularidade enorme: em “45 anos”, filme que esteve nomeado aos Óscares deste ano, a vida de um casal idoso e aparentemente estável sofre uma reviravolta que ninguém podia prever quando o corpo de uma antiga namorada do marido, Geoff, aparece conservado em gelo, em circunstâncias muito semelhantes às da morte de Lowe.

Na realidade, os acasos do destino de Lowe também parecem ter sido idealizados por um bom guionista, porque depois da morte do alpinista a sua viúva Jennifer acabou por casar com o amigo Conrad Anker, que seguia na mesma expedição mas acabou por escapar com várias costelas partidas e um ombro deslocado. Em 2001, depois do casamento, Anker adoptou os três filhos de Alex e Jennifer, e com ela criou a Fundação Alex Lowe para efeitos de caridade.

Foi Jennifer, através de um comunicado da Fundação, que anunciou esta sexta-feira ao mundo que os corpos de Alex e David foram encontrados tal como estavam há 16 anos, “parados no tempo”. “Entretanto vivemos 16 anos e agora eles foram encontrados. Estamos agradecidos”, explicou a viúva, acrescentando que vai, com o marido e os filhos, deslocar-se ao local onde Alex foi encontrado para lhe poder finalmente “dar descanso”.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s