Pesquisadores de MS criam sensor de raios com leiteira de alumínio

indice

Perigo pode ser detectado até 15 minutos antes.
No Brasil, mais de 100 pessoas morrem vítimas de raios por ano.

Pesquisadores de Mato Grosso do Sul descobriram que uma leiteira de alumínio pode ter uma utilidade enorme. E não é na cozinha.

No Brasil, mais de 100 pessoas morrem por ano vítimas de raios, a maioria jovens que estavam em atividades rurais ou dentro de casa.

No laboratório de ciência atmosférica da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, usando componentes eletrônicos disponíveis no mercado e uma leiteira de alumínio eles desenvolveram um sensor de raios que capta o campo elétrico e emite uma previsão de quando vai cair um raio.

Os alunos montam as placas, têm um GPS e o disco com os sensores. Daí é só tirar o cabo da leiteira e encaixar o sistema.

“Tem um microcomputador dentro, que faz todo esse processamento. Ele pega o sinal gerado, amplifica, passa para um gráfico que é processado e jogado no computador”, explica o tecnólogo Waldeir Dias,

Os gráficos indicam o campo elétrico se formando na nuvem.

“Cada queda dessa é um raio, e entre a gente dar o alerta e cair o primeiro raio, tem uma distância de dez a 15 minutos”, explica o geofísico espacial, Moacir Lacerda.

Os alertas são publicados na internet.

“Dá tempo de desligar os equipamentos eletrônicos, de parar com as atividades fora em local aberto, parar de trabalhar em situação de risco com uma máquina ligada na tomada por exemplo”, diz o geofísico.

Em Campo Grande são cinco rastreadores de raios espalhados pela cidade. Tem até na escola.

“ A gente vai poder analisar a atividade elétrica e poder emitir alertas se vai ter chuvas com raio, se não”, diz um professor.

Os alunos têm um blog e uma página na rede social e também emitem alertas.

“Eu tinha muito costume de andar descalço e gostava de ver raios então eu ficava sempre embaixo de uma arvore vendo raios caírem ou ficava a céu aberto para ver os raios caírem.  Isso é bonito, mas é muito perigoso”, conta a estudante Noemi Barbosa, de 16 anos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s